História dos Aparelhos Auditivos

historia-dos-aparelhos-auditivos

A história dos aparelhos auditivos está repleta de invenções, desde o trompete de ouvido no século XVII até aos aparelhos auditivos e amplificadores de alta tecnologia que temos nos dias de hoje.

É hora de darmos a devida atenção a estes dispositivos e revermos toda a história por trás dos modernos e sofisticados aparelhos usados hoje em dia.

Século XVII: Trompete de ouvido

O primeiro aparelho auditivo literal foi o ‘trompete do ouvido’ – um dispositivo tubular, projetado para canalizar as ondas sonoras para o ouvido. Ao contrário dos aparelhos auditivos de hoje, estes grandes funis eram feitos de materiais como madeira, chifres de animais, conchas de caracol e, às vezes, prata ou chapas de metal.

O seu uso remonta ao século XVII, onde Jean Leurechon, um padre e matemático francês, fez a primeira menção do instrumento na sua obra de 1634, Recreations mathématiques.

Século XIX: Akouphone

Embora os trompetes de ouvido possam ter parecido esteticamente impressionantes, havia uma necessidade inegável de afastamento destes cones de amplificação passivos. Os inventores começaram, então, a trabalhar para criar algo melhor.

Em 1898, Miller Rees Hutchinson inventou o Akouphone, o primeiro aparelho auditivo portátil que usava um transmissor de carbono. Com o uso do transmissor de carbono, a corrente elétrica podia transformar um sinal fraco num sinal forte.
As perspetivas lucrativas deste aparelho auditivo ganharam a atenção de grandes fabricantes e engenheiros que queriam melhorar o dispositivo, o que resultou em dispositivos cada vez mais pequenos e amplamente disponíveis.

Obviamente que isto não aconteceu do dia para a noite, muitas tecnologias foram experimentadas e testadas ao longo da história dos aparelhos auditivos para que se chegasse à tecnologia sofisticada disponível nos dias de hoje.

1920s-1950s: Tecnologia com tubo a vácuo

Em 1920, o engenheiro naval Earl Hanson patenteou o primeiro aparelho auditivo com tubo a vácuo chamado Vactuphone. O dispositivo usava o transmissor do telefone para converter a fala em sinais elétricos, para então serem amplificados pelo recetor. O sucesso foi tanto que os aparelhos auditivos com tubo a vácuo ficaram disponíveis no mercado dos EUA desde 1923.

Como costuma acontecer com a tecnologia, a competição para desenvolver as melhores técnicas de miniaturização auxiliou o desenvolvimento. Os dispositivos foram-se tornando cada vez mais pequenos ao longo da década de 1930 e rapidamente ganharam popularidade entre o público.

Nessa altura, o amplificador e as baterias ainda precisavam de ser usados ao pescoço e o microfone era portátil. Isto significava que as conversas eram feitas ao estilo repórter, algo impensável nos dias de hoje.

1948: Aparelho Auditivo com Transístor

Em 1948 entra em cena um elemento vital na história dos aparelhos auditivos – os transístores. Rapidamente substituíram os tubos a vácuo, exigiam menos energia da bateria, produziam menos distorção e calor do que os tubos a vácuo e, ainda mais importante, eram mais pequenos.

1970s: O microprocessador e os aparelhos auditivos de compressão

O microprocessador foi criado em 1970, acelerando a miniaturização do aparelho auditivo e trazendo a história do aparelho auditivo para os tempos modernos. Edgar Villchur, desenvolveu um dispositivo analógico de compressão de amplitude multicanal que permitia que o sinal de áudio fosse separado em bandas de frequência. É neste momento que se torna possível amplificar mais uns sons que outros.

1980s: Processadores e microcomputadores de alta velocidade

A década de 1980 marcou o início do desenvolvimento de chips digitais para processamento de sinal digital de alta velocidade. Estes permitiam um processamento rápido, mas eram muito grandes e consumiam muita energia para serem usados em aparelhos auditivos.

Com o tempo, a tecnologia reduziu essas desvantagens a níveis práticos para um aparelho auditivo digital.

ReSound recarregavel

Século XXI: Aparelhos Auditivos de alta tecnologia

Entrando no século XXI, podemos ver que os aparelhos auditivos se tornaram muito mais difundidos. Não há dúvida de que a sua longa história de modificação tecnológica e refinamento contínuo serviu para que muitas pessoas utilizem hoje em dia tecnologia moderna de ponta, como conexão Bluetooth e baterias recarregáveis, oferecendo comodidade aos utilizadores.

Especialista de Avaliação AudiçãoActiva

Marque uma avaliação e experimente grátis um aparelho auditivo!

Envie o seu número de telefone que nós ligamos gratuitamente

*

* Campos de preenchimento obrigatório

Gostou deste Artigo? Partilhe através da sua plataforma favorita:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Veja Ainda:

Preencha o formulário para ser contactado pela nossa equipa:

*

* Campos de preenchimento obrigatório

Escolha a AudiçãoActiva, escolha ouvir melhor!
Ainda tem dúvidas? Fale connosco:
Especialista de Avaliação AudiçãoActiva